;

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Conheça o primeiro jogo inteiramente brasileiro para PS4 e PC!

Os mais ligados no mundo dos games deve conhecer o Toren.
Ele é o primeiro jogo inteiramente brasileiro que será lançado para Playstation 4 e PC (por meio da Steam e do GOG). O lançamento oficial será dia 12 de maio, mas a pré-venda nas plataformas online já está disponível!



Vamos conhecer um pouco mais sobre ele, mas, primeiro, sobre sua produtora.

Tudo começou quando um grupo de amigos terminou o curso em pós-graduação de desenvolvimento de jogos. Como todos devem saber, no final de um curso você deve apresentar um trabalho de conclusão para ser avaliado. Esses jovens resolveram levar o trabalho além, montando a Swordtales em 2011.



Após alguns pequenos jogos, a equipe se dedicou e apostou tudo em um só: Toren. Eles começaram a desenvolver o Toren aos poucos, mas precisavam de dinheiro. É aí que entra a Lei Rouanet.


A Lei Rouanet, oficialmente conhecida como Lei Federal de Incentivo à Cultura, foi uma forma que encontraram para que o Brasil desenvolva sua cultura.
Primeiro a pessoa leva o seu projeto, que deve ser uma proposta cultural, ao Ministério da Cultura. Se ele for aprovado a pessoa pode receber doações em dinheiro para ajudar a desenvolver esse projeto.
Essas doações podem ser feitas por pessoas ou empresas. Mas essas doações não são simplesmente ir até o desenvolvedor e entregar o dinheiro. Funciona mais ou menos assim: o doador deduz do seu Imposto de Renda uma pequena porcentagem (existe um limite que varia se o doador for uma pessoa ou uma empresa). Essa porcentagem, uma pequena parte do imposto que deveria ir para o Governo, é desviado (de uma forma positiva, afinal desvio de dinheiro soa mal) para o desenvolvedor. Ou seja, ao invés de um pedacinho do seu imposto ir para o Governo ele vai para um projeto cultural.
Em troca os patrocinadores não podem receber parte do lucro, apenas alguns "brindes" como desconto na compra do produto desenvolvido, por exemplo.

Graças a lei a Swordtales conseguiu captar quase 370 mil reais para desenvolver o jogo.

Por outro lado, essa foi a mesma lei que vai permitir ao funkeiro MC Guime receber quase 517 mil reais para gravar seu DVD, mesmo que ele receba quase 300 mil por mês com shows e faça seu "funk ostentação"... Enfim, melhor deixar isso pra lá. É só pra você saber que qualquer produção cultural pode receber incentivo financeiro.

Não sei se todos se lembram, mas quando estava em debate o Vale-Cultura, um benefício em que trabalhadores receberiam 50 reais para gastar com seu desenvolvimento cultural (como comprar um livro, ir ao teatro, cinema), em 2013 a até então Ministra da Cultura Martha Suplicy disse que games não são cultura, por isso o dinheiro do vale não deveria ser usado para comprá-los.
Cá entre nós, se pode produzir um DVD de funk ostentação cheio de apologias ruins, porque não produzir um jogo? E olha que existe um abismo entre a definição de cultura desses dois.


Voltando ao que interessa, no jogo você controla Moonchild, a Criança da Lua, e descobre que ela deve subir uma imensa torre chamada Toren. Durante a subida ela vai encarar tudo que a torre tem a mostrar, como mistérios e monstros terríveis, ou seja, há uma boa mistura entre resolver quebra-cabeças e combater inimigos para que a personagem possa continuar sua jornada. Ainda enquanto Moonchild sobe ela vai envelhecendo, afinal o jogo começa com ela criancinha. Ao mesmo tempo você deve descobrir o porquê de subir a bendita torre. No plano de funo há grandes reflexões sobre o sentido da vida e a morte.
O jogo é como uma grande mistura entre Ico, The Legend of Zelda e Shadow of The Colossus.



Visite o site oficial do jogo para conhecer melhor a história.

Veja o trailer e escute essa trilha sonora maravilhosa:


 
Imagine se esse jogo der certo? E eu espero que dê. Seu sucesso pode significar a ascensão dos games no Brasil, pode ser que inspire novas pessoas a criarem seus jogos, fundarem produtoras...
Portanto, vamos dar nosso apoio ao Toren e a Swordtales, mesmo que você não compre o jogo, pelo menos ajude a divulgá-lo!

Até a próxima postagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário